Atleta do mês: Hugo Silva Nascimento

Nome completo: Hugo Silva Nascimento
Peso:65
Idade:23
Estado:Sergipe
Categoria:Super-leve

O sergipano Hugo Nascimento, lutador da Chacal Fight, é o atleta do mês de fevereiro da Confederação Brasileira de Kickboxing.
Nascido e criado na capital sergipana Aracaju, Hugo Nascimento tem 23 anos e já respira o kickboxing desde a adolescência. O primeiro contato com o esporte veio aos 13 anos através do projeto social de seu atual mestre Williames Chacal. Com pouco tempo de projeto ele já migrou para a academia e viu o desejo pelo competição começar a correr em suas veias. Mesmo com os primeiros resultados negativos, Hugo não desanimou e seguiu sua batalha diária para ser um lutador profissional.
Nesse meio tempo o adolescente cresceu e passou a conciliar a rotina de lutador com o trabalho como garçom, depois como caixa de loja e até auxiliar administrativo. Após concluir o ensino médio, Hugo fez o que muitos lutadores acabam abrindo mão para se dedicar a carreira: ingressar em uma faculdade. Hoje ele está no oitavo período de fisioterapia e daqui a um ano terá o diploma em mãos. Enquanto isso, o lutador arruma um tempo para trabalhar na lanchonete do padrasto e treinar.
Inspirado, principalmente no início de carreira, no lendário lutador de K-1 Andy Souwer, Hugo tem outros nomes do kickboxing brasileiro como inspiração. Alguns deles são Paulinho Tebar e Cesinha Almeida, que segundo Hugo têm estilos de luta que ele admira, de ser muito preciso e desperdiçar poucos golpes. Outro que ele afirma gostar de ver lutar é o kickboxer japonês Masaaki Noiri.
A carreira esportiva de Hugo teve a grande virada de chave em 2016, há apenas três anos. Com a conquista do primeiro título brasileiro no circuito amador, ele ganhou uma chance no WGP. Apesar do revés para Ricardo Koreano, ele saiu satisfeito por fazer uma luta tão equilibrada diante de um adversário muito mais experiente. Hugo fez ainda outras duas lutas profissionais, com duas vitórias, antes de retornar ao WGP, para dessa vez ser nocauteado pelo atual campeão dos leves do evento, Diego Piovesan. Mais uma vez ele não desanimou e tomou uma importante decisão após a luta: subir de categoria devido ao drástico corte de peso.
A partir daí, Hugo viu sua trajetória tomar um rumo diferente e o vento começou a soprar para o seu lado. Com um cartel amador de mais de 30 lutas disputas e com apenas as duas derrotas no WGP no currículo desde 2016, ele somou títulos brasileiros e da Copa Brasil até ter a chance de participar do GP do Ichiban Kickboxing, disputado em Mogi das Cruzes e que reunia diversas categorias e prêmios para os vencedores, entre eles uma chance no próprio WGP.
No formato eliminatório com 16 atletas divididos em chaves, o torneio, realizado em dois dias, obrigaria o campeão a fazer quatro lutas. E foi assim que Hugo conquistou seu resultado mais expressivo da carreira, com grande atuações como ele mesmo definiu. Foram quatro vitórias por decisão unânime sobre Vinicius Barros, Robinson Cesar, Brun Perna e Neimar Almeida na grande final. Com a performance, ele garantiu a chance de retornar ao WGP e escrever uma nova história.
Parabéns ao atleta e seus treinadores por esse início de carreira vitoriosa.